Nossas Devocionais

Em tudo Jesus cumpriu e foi cumprimento das Escrituras

por

Pr. Paulo Guedes Soares

“Graça, misericórdia e paz, da parte de Deus Pai e da do Senhor Jesus Cristo, nosso Salvador”.

Voltemos a nossa atenção hoje, meus irmãos, para Mateus 8.16,17: “Ao cair da tarde, trouxeram-lhe muitos endemoninhados; e com a sua palavra ele expulsou os espíritos e curou todos os enfermos; para que se cumprisse o que havia sido falado pelo profeta Isaías: Ele tomou sobre si as nossas enfermidades e carregou as nossas doenças”. Mateus registra essas palavras logo depois de Jesus ter curado um leproso, curado à distância o servo do centurião romano de Cafarnaum e de ter curado a sogra de Pedro. E Mateus acentua que Jesus efetuou essas curas “para que se cumprisse o que havia sido falado pelo profeta Isaías”. Em tudo Jesus cumpriu e foi cumprimento das Escrituras. Desde o Seu nascimento, até o Seu último suspiro: “O nascimento de Jesus Cristo foi assim: Maria, sua mãe, estava comprometida a casar‑se com José. Mas, antes de se unirem, ela achou-se grávida pelo Espírito Santo. Ela dará à luz um filho, a quem darás o nome de Jesus; porque ele salvará seu povo dos seus pecados. Tudo isso aconteceu para que se cumprisse o que o Senhor havia declarado pelo profeta: A virgem engravidará e dará à luz um filho, a quem chamarão Emanuel, que significa: Deus conosco” (Mateus 1:17, 21‭-‬23). Até sobre o destino das vestes de Jesus, as Escrituras se referiram: “Por isso, disseram uns aos outros: Não a rasguemos, mas tiremos sortes, para ver de quem será; para que se cumprisse a Escritura, que diz: Repartiram entre si as minhas roupas e tiraram sortes. E assim fizeram os soldados” (João 19:24).

Meus irmãos, quando Mateus cita Isaías 53.4: “Ele tomou sobre si as nossas enfermidades e carregou as nossas doenças”, não significa dizer que as enfermidades das pessoas que Jesus curava pegavam n’Ele, como alguns erroneamente interpretam. Significa, isto sim, que Jesus sente pessoalmente as dores, as necessidades e as mazelas dos Seus filhos e os ajuda a levarem suas cargas, seus pesos e suas angústias, e dar-lhes alívio. Desde os dias da Antiguidade Deus caminhou com o Seu povo para ajudá-lo: “Em toda a angústia deles, ele também ficou angustiado, e o anjo da sua presença os salvou; no seu amor e na sua compaixão, ele os redimiu, e os tomou, e os carregou por todos os dias da antiguidade” (Isaías 63:9). É muito alentador saber que o Deus eterno se preocupa com as nossas mazelas, apenas por causa do Seu amor em Cristo por nós. É confortador saber que o Senhor Deus nunca se esquece de nenhum dos Seus filhos. O Seu cuidadoso amor transcende toda sabedoria humana. Nada é maior, melhor ou mais eficaz do que o amor de Deus por nós: “Pode uma mulher esquecer-se do filho que ainda amamenta, a ponto de não se compadecer do filho do seu ventre? Mas ainda que ela se esquecesse, eu não me esquecerei de ti” (Isaías 49:15). Caríssimos irmãos, sintam-se abraçados pelo eterno e imutável amor de Deus.

Deus vos abençoe, meus irmãos, juntamente com vossas famílias. Amém!

Foi abençoado? Compartilhe:

Facebook
Twitter
WhatsApp
Telegram