Nossos Artigos

A essencialidade das Escrituras

Meditação em João 5:45-47

“Não penseis que vos acusarei perante o Pai. Há outro que vos acusa, que é Moisés, em quem tendes esperança.
Pois se crêsseis em Moisés, creríeis em mim; porque ele escreveu a meu respeito.”
Mas, se não credes no que está escrito, como crereis nas minhas palavras?”

Esta é uma parte da discussão entre Jesus e os mestres de Israel. Eu selecionei essa parte do discurso de Jesus porque ele está sendo bem enfático sobre o papel das escrituras sagradas como guia para o salvador prometido por Deus.

Os judeus chamavam as escrituras simplesmente de Moisés, referindo-se aos livros da Lei escritos por Moisés. Na verdade os judeus dividiam as escrituras em lei ou Lei de Moisés referindo-se ao pentateuco, escritos, que eram o conjunto dos livros poéticos e históricos ou simplesmente salmos e os profetas, que são todos aqueles que estão na nossa Bíblia.

Jesus sempre de muito valor às escrituras sagradas a ponto de dizer aos judeus em Mateus 22:29 que diz:

“Errais não conhecendo as escrituras, nem o poder de Deus”

Além do mais o nosso senhor tem tanta certeza que as escrituras falavam dele que torna dizer aos judeus em João 5:39 que diz:

“Examinais as escrituras porque vós cuidais ter nelas a vida eterna e são elas que de mim testificam”.

A Bíblia é a única revelação escrita de Deus aos homens. Nenhum outro livro pode substituí-la ou superar o seu valor, haja vista que ela é a palavra inspirada de Deus. Isto é, ela foi dada pelo sopro de Deus, como diz em II Timóteo 3:16:

“Toda escritura é divinamente inspirada e proveitosa para ensinar, para repreender, para corrigir para instruir em justiça”.

E sendo ela dada pelo próprio sopro de Deus é a palavra viva como diz em Hebreus 4:12:

“Porque a palavra de Deus é viva e eficaz, mais cortante que qualquer espada de dois gumes, penetra até o ponto de dividir alma e espírito, juntas e medulas e é capaz de perceber os pensamentos e intenções do coração”.

Sendo que Jesus é o Verbo, a palavra que se fez carne, foi o seu Espírito quem guiou todos os Escritores da Bíblia na sua confecção, por exemplo, em I Pedro 1:10-11 diz:

“Foi essa salvação que os profetas examinaram e dela procuraram saber com cuidado, profetizando sobre a graça destinada a vós, indagando qual o tempo ou ocasião que o Espírito de Cristo, que estava neles, indicava ao predizer os sofrimentos que sobreviriam a Cristo e a glória que viria depois desses sofrimentos”.

Foi por isso que Jesus disse que Moisés falava dele, já que foi o próprio Cristo quem o inspirou a falar dele mesmo.

Meus irmãos, visto que temos esse grande tesouro nas mãos e nas nossas casas, vamos ler e estudar a palavra de Deus com amor, afinco e referência, para quem tempo algum erremos na vida, mas tenhamos sempre sua direção segura e firme nos guiando na nossa caminhada em tudo que somos e fazemos.

Sigamos a recomendação da própria Bíblia em Oseias 6:3 que diz:

“Conheçamos e prossigamos em conhecer o SENHOR; como o sol nascente, a sua vinda é certa; ele virá a nós como a chuva, como a primeira chuva que rega a terra.”

E também II Pedro 3:18 que diz:

“Antes, crescei na graça e no conhecimento de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo. A ele seja dada glória, agora e na eternidade. Amém”.

Meus irmãos, que a nossa que convicção da necessidade, inerrância e essencialidade das Escrituras, seja de tal forma profunda em nossos corações, que estejamos dispostos até a defendê-la com sacrifício da própria vida, se for esta a vontade de Deus.

Foi abençoado? Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram